terça-feira, 15 de maio de 2012

Em recuperação...

Quando pensei em escrever sobre a Esperança, vieram-me logo à cabeça algumas frases típicas: A esperança é a última a morrer, Enquanto há vida, há esperança, Tenha esperança, porque que tudo vai melhorar...e por aí adiante! Assim, a mulher tem a esperança que o crápula do marido mude, o homem tem a esperança de que a sua linda mulher nunca envelheça, a mãe vive com a esperança de que o seu filho seja "alguém na vida", o povo tem a esperança que o próximo governante seja melhor e assim vamos vivendo, sempre esperançados...
Já deve ter dado para perceber, nestas poucas linhas, que me sinto um pouco desconfortável com esse sentimento. Na verdade sou esperanço-dependente, vulgo sonhadora. Sempre que me apercebo que passei um certo(bastante) tempo a esperar que alguém ou uma situação se transforme naquele quadro-absolutamente-lindo montado na minha cabeça e quando "caio na real" sinto-me enganada(na verdade sinto-me mesmo é p..da vida!). Este tempo que passei com a "esperança de..." sinto-o como um hiato, um desperdício, e depois fico com aquele sensação de vazio, de pura perda... É um sentimento parecido(para pior) com o que quase todos nós vivemos na antecipação de uma festa na adolescência, vibramos com os preparativos, com a roupa, pensamos se "ele" estará lá... e depois chega na hora, tudo fica banal, a realidade nunca chega aos pés da imaginação, pura decepção!
A minha definição:
A esperança é a droga vendida pelo traficante chamado Ilusão e o preço que pagamos é o Tempo, a nossa moeda mais preciosa! Começamos a ver os factos distorcidos, à espera do que já não vem, e quando falta a dose, embrulhadinha em papel de prata, a realidade é uma ressaca terrível de enfrentar!

Peguei pesado, OK! É fofinho ser sonhadora, é lindinho ver florzinhas e estrelinhas brilhantes em tudo, e depois? Será que não existe beleza na realidade? Claro que sim! 
E uma certa dose de droga também é necessária, o que mata, também pode curar!
Cheguei à conclusão, que é preciso ser também minimalista até com a Esperança! Destralhar expectativas, ser poupada nos limites, aceitar a realidade, valorizar o que já temos, deixar de querer fazer tudo e mudar o Mundo, ou seja consumir Esperança com parcimónia, apenas em casos necessários, em pequenas doses homeopáticas, guarda-la para as ocasiões especiais, quando tudo está mesmo perdido e quando só nos resta a luz ao fundo do túnel. É para isso que quero a Esperança, hei-de de aprender a viver assim...afinal não quero acabar com uma overdose!

E desculpem pelas amargas palavras, mas encontro-me num desses momentos de ressaca esperançal :\

Também hei de aprender a comer apenas um quadradinho de chocolate negro de cada vez, uma dose diária, e enquanto esse tempo não chega...e porque não dá para melhorar tudo de uma só vez, deixo-vos com uma receita para levantar o moral, sempre na esperança que não deixem de cá vir, apesar do mau humor da anfitriã...

Bolo de chocolate
para fazer num instante e comer sofregamente
Ingredientes:
4 ovos biológicos
2 colheres(sopa) de manteiga(usei de soja)
1 chávena(chá) de açúcar amarelo(não fica muito doce)
1 chávena(chá) de cacau em pó(do bom!)
1 banana em pedaços
1 chávena(chá) de aveia em flocos
1 chávena(chá) de leite de amêndoa(ou outro leite vegetal)
3 chávenas(chá) de farinha de trigo
1 colher(sopa) de fermento em pó
Manteiga e farinha de trigo para untar
Preparação:
Bater no liquidificador ou com uma varinha mágica: ovos, manteiga, açúcar, cacau, banana, aveia e leite. Retirar do liquidificador, acrescentar a farinha e mexer até obter um creme homogéneo. Adcionar o fermento e mexer delicadamente. Transferir para uma forma de chaminé untada e enfarinhada. Cozer em forno pré-aquecido a 170ºC por cerca de 30 a 40 minutos( usar o palito para verificar).

E com esta visão meio estranha da Esperança, participo, na Blogagem Colectiva Amor aos Pedaços.
Confira aqui outras participações.



29 comentários:

  1. Gostei muito do post..., do bolo, e... continua a ser preciso ter esperança;)
    Beijocas, um bom dia:)

    ResponderEliminar
  2. Também já aconteceu comigo, mas passa, acredita, faz-nos ficar mais fortes...
    Afinal a Ti Esperança já morreu há uns anitos, mas era boa mulher, lol
    Jinhos fofos para as duas...

    ResponderEliminar
  3. Juntas na esperança!
    bjs Sandra
    http://projetandopessoas.blogspot.com//

    ResponderEliminar
  4. Foste sincera ao postar! Assim te sentes, não poderias colocar nada diferente!

    Pena ,não?

    Mas só quem está com o sapato apertado, sabe como doem os dedos...

    Daqui, de coração, que tudo fique bem n tua vida e que a esperança se mostre com uma carinha verdinha, verdinha, vá crescendo e POSSA SE INSTALAR!!! um beijo,tudo de bom,chica

    ResponderEliminar
  5. Sou tua eterna fã! Este post está o máximo! Super energico apesar de quereres enganar-nos como te enganas que um dia vais conseguir só comer um quadradinho de chocolate (esperança).

    Mas concordo que o equilibrio e as doses homeopáticas são para aplicar a tudo. Fizeste muito bem em relembrar-nos que abusar da esperança é uma toxicodependência :) Brilhante esta associação.

    Bom, mas se essa ressaca esperançal tem a ver com uma amizade, não temas, há mais marés que marinheiros, outra vaga de esperança se levanta a cada nova amizade que constrois.

    Mas que doi. Doi!
    Pensa assim: "Águas passadas não movem moinhos." - Aprende o que tens a aprender com essa queda, levanta-te, e segue em frente. Há mais amizades verdes por aí. Olha eu aqui!!!!
    Beijos à minha maninha mais idalin(d)a!
    Rute

    ResponderEliminar
  6. Mesmo sabendo que o mundo não é perfeito, almejamos a perfeição. Queremos o amor perfeito, a vida perfeita, pessoas perfeitas ao nosso lado... e a aceitação de que tudo não é perfeito, passa por um processo de aceitar as nossas imperfeições. Defeitos todos temos e certamente, sonhar demais é um deles! A esperança na dose certa é uma motivação, ao contrário, perderíamos toda a vontade de viver. Vamos entregar os pontos? Logo cedo encontramos a loiça na pia, o almoço por fazer entre as tarefas cotidianas, coisa que não fugimos. Mas lá no fundo temos a esperança de que algo se modifique naquele dia, que venha nos trazer modificação. Uma palavra amiga, um sorriso, um cheiro de bolo de chocolate... mesmo que no final do dia encontremos a pia novamente cheia de loiça. A minha esperança é que o dia chuvoso acabe e que um lindo sol apareça. Tem chovido demais, não é mesmo? Beijus,

    ResponderEliminar
  7. Lina, realmente nota-se no teu texto muita desilusão, mas acho que tens razão em relação às "doses" de esperança. Eu tb sou do tipo sonhadora, e isso só faz com que depois as desilusões sejam maiores...
    já em relação aos quadradinhos de chocolate, pra dizer a verdade, acho um absurdo comer só um! :))
    Eu não consigo, se não forem 2 ou 3 não tem graça! :)
    Bjs

    ResponderEliminar
  8. Você tá na fase do desencantamento. Todo mundo passa por isso e acredite, quando você menos esperar virá a esperança de dentro do seu coração. A Esperança que fará você acreditar e concretizar seus objetivos reais e não fictícios ou ilusórios.
    Também sou sonhadora, mas aprendi a ser mais realista.
    Participo desta blogagem também. Big Beijos

    ResponderEliminar
  9. Lina, pois foi o melhor post mal-humorado que já li! Rss. Não deixa de ser uma visão muito interessante da esperança, que só faz enriquecer as várias percepções que aparecem na blogagem. O sofrimento do esperanço-dependente é muito real e tentar lidar com isso é um tema muito pertinente. Sou extremamente pé no chão, acho que (quase) tudo depende de mim e um fio de esperança me faz correr esbaforida, muitas vezes em coisas que não dependem em nada de mim. Às vezes é energia desmedida, sabe? Os sonhadores têm uma placidez que muitas vezes eu queria para mim...um beijo!

    ResponderEliminar
  10. Todos nós temos sempre esperança, disto ou daquilo, de algo ou alguém... é algo tão natural que já dependemos desse sentimento. Um dia... ainda hei-de... é a esperança a falar mais alto. :)
    Agora sou eu que tenho esperança de ainda provar esse bolinho...um dia, quem sabe, esse bolinho delicioso será só meu. :)

    ResponderEliminar
  11. O que seríamos nós sem a Esperança! Apesar de às vezes tantos nos fazer sofrer... Uma amiga estáva sempre a dizer que o sentimento mais poderoso que existia era a Tristeza (tinha um humor algo depressivo e melancólico...) mas eu ficava na minha (e fico) que o que manda e comanda o mundo é a esperança. mesmo quando dói e mesmo quando por ela perdemos tempo e energias...
    Beijinhos e boa sorte para essa ressaca esparançal, que fatia a fatia de bolo de chocolate há-de passar aos poucos!

    ResponderEliminar
  12. Lina minha querida... esperança... a palavra que diz tudo.. tantas vezes eu perdi a esperança... tantas vezes eu pensei em desistir... tomei comprimidos, fui picada tantas vezes e no final de cada mes o desespero ate ao dia que fui recompensada... duplamente!!... Hoje sinto que os meus meninos estao a sair do ninho e tenho saudades muitas saudades de quando eram mais pequenos!!!

    mas como eu digo... as transformam-se em dias,os dias em meses, os meses em anos... e os anos passaram!!!

    Beijocas e força linda tenho muito orgulho de pensar que se um dia nos cruzamos na vida (mesmo sendo virtualmente) deve haver algum motivo para tal!!!

    ResponderEliminar
  13. Adorei! O texto e o bolinho! Chocolate é tão bom!

    Bjs

    ResponderEliminar
  14. Lina querida concordo com tudo o que vc disse aqui, é o outro lado da esperança, que sempre acaba em um circulo vicioso,sempre estamos esperando algo, que mude, que seja, que venha, que sinta, e por aí vai, como disse na minha participação, tenho muitas esperanças, claro quem não as tem, mas procuro não jogar as minhas esperanças demais no futuro, procuro viver o hoje e ser grata por esse dia. Bela participação como sempre. Bjos querida amiga

    ResponderEliminar
  15. Esperança vai, mas volta.
    O blo parece muito bom.
    Bjs

    ResponderEliminar
  16. Que sinceridade, heim? Mas isso é bom! É como estar no divã e falar. O que se põe para fora melhora cá dentro. Grande abraço!

    ResponderEliminar
  17. Olá,Lina querida
    "O que me importa o tempo e o espaço,
    Se trilhei caminhos orvalhados
    Em busca do calor do teu abraço?"
    (Auxiliadora)

    Pena que nem sempre somos compreendida... o mundo não quer ver tristeza porque não quer arregaçar as mangas... fica falando de falsas alegrias pra fazer-se de feliz... e prefere ver só o lado bom... mas se esquecem que um dia é da caça e outro do caçador...
    TODOS temos altos e baixos... pode ficar tranquila... hoje é vc amanhã sou eu... quem se diz forte demais é o mais fraco, creia!!!
    Incomode os "poderosos" que se fazem de "santos" (como se "cair" fosse coisa de poste(por ex.)... SEJA VC MESMA!!!
    A Esperança nunca vai sair do seu coração mesmo que pense que ela não está presente...

    Concedei-lhe, ó Deus, prodigamente, o ORVALHO DO CÉU...
    Até o próximo mês, se Deus quiser!!!
    Abraços esperançosos de paz

    "Jamais desista de ser feliz, pois a vida é um espetáculo
    imperdível, ainda que se apresentem dezenas
    de fatores a demonstrarem o contrário."
    Fernando Pessoa.

    ResponderEliminar
  18. Oi minha querida!!
    Todos nós passamos por estes momentos, de ficar decepcionados consigo mesmo, por mais uma vez acreditar em isto ou aquilo milhões de vezes e cair do cavalo milhôes de vezes, até que um dia resolvemos dar um basta assim como você! E podes ter a certeza que um novo dia já está a rair cheio de Esperança para você! E tbm para nós. Bjs

    ResponderEliminar
  19. Tanta gente gêmea, aqui! Também me identifiquei, Lina! Amadurecemos!!!

    Quanto á receita de bolo de chocolate: a foto parece com os meus! Mas, olha só:
    - não uso ovo (nem biológico, nem falso)- uso a linhaça para deixá-lo fofo
    - não uso manteiga nem margarina
    - não uso sal
    - o pouco de leite é de coco!
    - adiciono porções iguais de far trigo, aveia e linhaça moída - açúcar cristal - guaraná em pó e uma colherinha de café.
    - Também uso Cacau puro.
    Fica uma DELÍCIA!!! Os netos adoram, o genro também, a filha come aos poucos!!! Igual ao teu! Beijos!

    ResponderEliminar
  20. Ai como é bom ver as amigas e me deparar com essa postagem. Que palavras sábias! Parabéns! Acredito que primeiro temos que reconhecer que viver não é fácil. Não viver iludida. E depois sim, ter uma perspectiva real e saborear a verdadeira felicidade, quando aparece. O bolo parece impecável e caberia umas pimentinhas junto com o chocolate.;)

    Abraços

    ResponderEliminar
  21. Oi, Lina!

    Eu não me choquei com a sua visão realista da esperança.Até concordo com ela. Existem coisas óbvias, que não precisa alimentar esperanças para saber que não vão dar certo... O sábio é manter-se firme, e utilizá-la, em momentos de grandes adversidades, quando tudo leva a crer que não teremos saída, aí sim, ela se apresenta de forma incrível, nos fortalecendo e fazendo-nos perceber que existe luz no fim do túnel...
    Ótima participação.

    Grande abraço

    Socorro Melo

    ResponderEliminar
  22. Ah, ah, querida maninha! Este é um post mal humurado??? Então que venham mais pots "mal humurados" assim! Para mim é um com muito humor (e Amor) à mistura!

    Pois que te percebo e já vi que já viste que eu te percebo e que também me percebeste, pelo comentário que deixaste lá na minha participação... perceberam?

    Bem, deixando-me de trocadilhos, já há uns tempinhos que percebi que a maior parte dos problemas nas nossas vidas são uns falsos problemas e que derivam de toda a confusão de conceitos e preconceitos e julgamentos e de "saberes" com que somos bombardeados desde que nascemos e aos quais, ao fim de um certo tempo de bombardeamento, sucumbimos. Conceitos como este da Esperança (e muitos, muitos outros) que nos são apresentados sob uma capinha muito lindinha e a prometer-nos os céus. E assim entramos nesta roda, neste ciclo vicioso de encantos e desencantos, de ilusão e desilusão, de esperança e de desespero, de todas as polaridades e não sei quando é que a raça humana vai sair deste impasse bipolar (talvez quando retornarmos às crianças que fomos e nos relembrarmos do que é naturalmente mágico e verdadeiro _ e por isso não é mágico, é real, nós é que nos esquecemos do que a realidade É, realmente, deixámos de a percecionar (ou por outras palavras, do que o Amor É_ e andamos para aqui a chamar-lhe outros nomes!)
    Ora exatamente sem esperança que lá chegaremos e simplesmente com amor (que tudo pode tudo confia nada questiona tudo faz, etc., etc.), me despeço de ti e deste teu post mirabolástico e fantástico, por hoje... mil beijinhos!!!
    Isabel

    ResponderEliminar
  23. Lina seu blogue já me chamou a atenção pelo nome. Onde tem café, lá está Roseli, rsrs. É natural a gente se sentir desesperançada de vez em quando. Necessitamos até disso pra viver. Mas concordo com você. Temos de ter esperança mas na medida certa. Sair da realidade, criar um mundo cor de rosa e não enxergar a realidade é loucura mesmo. Valeu sua participação.E, amei seu bolo! Já anotei a receita pra testar. Também participo da blogagem mas só vou postar no domingo.
    Bjs

    ResponderEliminar
  24. Oi Lina seu blogue já me chamou a atenção a começar pelo nome. Onde tem café, pode apostar que tem Roseli (euzinha!)
    Concordo com você sobre ter uma esperança fora do normal calcado apenas em sonhos. Viver fora da realidade é um perigo! Temos de ter em doses homeopáticas como falou. Adoreu seu blogue, sua receita de bolo e já anotei. Também vou participar da blogagem coletiva mas só vou postar no domingo. Te espero por lá.
    Abraço

    ResponderEliminar
  25. È isso Lina,
    parcimônia na esperança, mas não falta, pois esta pequena dose diária nos lembra que somos capazes de superações acreditadas impossíveis.Há dias que o exagero traz uma baita ressaca, como vc muito bem destacou, mas há outros que nos movimentos de sermos humanos voltamos a crer que o melhor acontecerá. Precisamos disto na dose de oxigênio diária: esperança parcimoniosa.
    Entre encantos e desencantos vamos constituindo o possível de todos nós, dias mais crús, outros mais doces como este delicioso bolo.
    Assim gira a roda e faz maior a interação.
    Adorei nossa "conversa", querida.
    Bjos,
    Calu

    ResponderEliminar
  26. Oi Lina! Seu post mostrou um outro lado da coisa: há desencanto até na esperança! Sim... a vida não é um sonho dourado! Sempre que minha mãe ouve a frase "que sua vida seja um mar de rosas", ela diz: cuidado com os espinhos! As rosas são tão belas e perfumosas mas, tem espinhos! Até com a esperança há de se ter parcimonia! Ela não pode virar ilusão! Gostei demais do seu post! Obrigada pela visita ao EcoBlog! Beijos ecológicos Tetê

    ResponderEliminar
  27. A esperança é verdade que é sempre a ultima a morrer, eu vejo isso no meu trabalho todos os dias, ainda que ás vezes eu também veja que essa esperança é ilusória...
    Um bolinho dietético dá jeito a todas ;-)))

    ResponderEliminar
  28. Gostei muito deste post :) de certa forma idenfiquei-me com aquilo que sentes, pois já fui uma pessoa bastante sonhadora, mas muitas vezes acabava desiludida com o facto de nada se concretizar... Acho que depois acabei por tornar-me mais realista e menos dependente da esperança, acreditando apenas naquilo que eu sabia que conseguia ter...

    Bem apetitoso esse bolo :) e quanto ao chocolate também tenho sérias dificuldades em ficar só pelo primeiro quadradinho de chocolate preto !

    Beijinho

    ResponderEliminar
  29. Lina, você anda mesmo de mal da esperança hein??? Ahahahah
    É um pouco necessário, mas nem todas sentem ou precisa dela.
    Quanto a mim, ahh, estou no meu momento de maior esperança e isso tem me dado força para seguir adiante. Não me envergonho. Mas entendo quem acha que isso é pura bobagem.
    Gostei do bolo de morango! Minha esperança também é aprender a comer moderadamente alguns itens, ahahaha.
    Um abraço

    ResponderEliminar